31.05-04.06.2023
Complexo do Pacaembu, São Paulo - SP

ArPa feira de arte

A ArPa nasce como uma feira de arte focada na expansão da comunidade de arte contemporânea nacional e internacional por meio de uma experiência inovadora.

Com potencial de agregar colecionadores de todo o país, a Feira gera novas oportunidades para colecionadores, galeristas, artistas e curadores, possibilitando conexões com o cenário artístico contemporâneo, bem como a formação de novos apreciadores e conhecedores de arte.

A ArPa surge, assim, para conectar o circuito da arte contemporânea brasileira, promover diálogos prolíficos para o desenvolvimento da cena artística e constituir-se como um evento múltiplo e participativo, ocupando um marco da cidade de São Paulo: o Complexo do Pacaembu e a Praça Charles Miller.

Nos dois primeiros anos, a Feira será sediada no Pavilhão Pacaembu, espaço de 4.000 m² construído para abrigar eventos durante os anos nos quais o complexo passa por restauros e modernização. De 2024 em diante, o evento ocupará o centro de convenções, que faz parte da nova edificação.

EQUIPE

Direção Geral
Camilla Barella

Direção Adjunta
Eduardo Barella
Rafael Carvalho

Direção de Relacionamento
Cristina Candeloro

Assistente de direção
Júlia Diniz

Curadoria
José Esparza Chong Cuy (UNI)
Carla Zaccagnini (Sala MOS)
Diego Matos (Satélite)

Produção Executiva
Gabriel Curti
Julia Brandão
(Ayo Cultural)

Arquitetura
Fernanda Pitombo

Identidade Visual
Alexandre Utchitel
João Pedro Nogueira
(Estúdio Margem)

Comunicação Visual
Sol Camacho
Flora Milanez
(RADDAR)

Projeto de Iluminação
André Boll

Marketing
Chris Rüegg

Comunicação
Olavo Barros
André Vilhora
Rafael Barros

Planejamento Estratégico de Comunicação
CDN Comunicação

Coordenação de Operações
Victor Borges

Assessoria Jurídica
Tarcila Maria Bello Toledo

Gestão Financeira
Felipe Vicentini

1ª edição

Em sua 1ª edição, a ArPa contou com cerca de 10 mil visitantes que passaram pelo Pavilhão Pacaembu entre os dias 1 e 5 de junho de 2022. A Feira compartilhou também o Pavilhão com a MADE, a mais prestigiosa feira de design do país, estabelecida em 2012. A parceria possibilitou a ampliação e sinergia entre os públicos de arte e design.

Na busca de um olhar descentralizado e com intuito de reunir diferentes abordagens e perspectivas sobre arte contemporânea, a ArPa convidou quatro curadores responsáveis pelos diferentes setores e programas do evento. Os setores Principal, UNI e Satélite aconteceram no Pavilhão; o Arte em Campo, com entrada gratuita, localizou-se na Praça Charles Miller, visando incentivar a formação de público por meio de programas educativos e de comunicação; por fim, o programa Prisma foi criado como uma forma de expandir os limites da Feira e difundir o conhecimento em outros espaços e instituições da cidade por meio de visitas a exposições, ateliês de artistas, coleções particulares, entre outras.

Nesse contexto, a equipe ArPa priorizou a experiência contemplativa, criando uma atmosfera mais íntima com o público visitante, que reuniu artistas, curadores, galeristas, colecionadores e apreciadores de arte. Optou-se, assim, por dois tamanhos de espaços expositivos no Setor Principal, nos quais as galerias mostravam até três artistas de seu programa.